Papa: a reforma continua, com oração, esperança e confiança

0

Domingo, 8 de novembro – Angelus com o Papa Francisco na Praça de S. Pedro. O Santo Padre falou sobre a plenitude da vida cristã. Destaque para a declaração do Papa sobre as recentes publicações de documentos reservados da Santa Sé.

O Evangelho de S. Marcos – disse o Santo Padre – apresenta-nos os escribas, mestres da lei, mas que se pavoneavam em público e queriam os primeiros lugares nas sinagogas e praças. Ao contrário, o verdadeiro exemplo de vida neste domingo vem de uma velha viúva que no Templo de Jerusalém apenas dá duas pequenas moedinhas como oferta, mas é a ela que Jesus observa atentamente. Depois ensina aos seus discípulos que ela deu tudo o que tinha, enquanto os outros davam com ostentação.

Quantidade e plenitude: dois vetores de reflexão em que o segundo é nitidamente mais importante, segundo o Papa Francisco, que contou mesmo uma pequena história:

“Uma mãe e os seus filhos estavam a comer costeletas à milanesa e um dos filhos abriu a porta a um pedinte e disse à mãe para dar-lhe costeletas daquelas que estavam no frigorífico. Mas a mãe cortou metade das costeletas de cada um deles para assim partilharem aquilo que estavam a comer.” O Papa Francisco deu uma explicação concreta a este exemplo e à importância da plenitude na vida cristã:

“Perante as necessidades do próximo, somos chamados a privarmo-nos de algo de indispensável, não só supérfluo; somos chamados a dar o tempo necessário, não só aquele que sobra; somos chamados a dar de imediato e sem reservas algum nosso talento, mas não depois de o ter utilizado para os nossos desejos pessoais ou de grupo.”

Após a oração do Angelus o Papa Francisco fez uma declaração sobre as recentes publicações de notícias e documentos reservados da Santa Sé:

“Sei que muitos de vós estão perturbados pelas notícias que circularam nos dias passados a propósito de documentos reservados da Santa Sé que foram subtraídos e publicados.

“Por isto gostaria de vos dizer, antes de mais, que publicar estes documentos foi um erro. É um ato deplorável que não ajuda. Eu próprio tinha pedido para fazer aquele estudo, e aqueles documentos, eu e os meus colaboradores, já os conhecíamos bem.”

“Mas quero dizer-vos também que este triste facto não me desvia, certamente, do trabalho de reforma que estamos a levar em frente com os meus colaboradores e com o apoio de todos vós. Sim com a ajuda de toda a Igreja, porque a Igreja renova-se com a oração e com a santidade quotidiana de cada batizado.”

“Por isto agradeço-vos e peço-vos de continuar a rezar pelo Papa e pela Igreja, sem que vos deixeis perturbar, mas indo sempre em frente com confiança e esperança.”

Nas várias saudações do Santo Padre, destaque para aquela dirigida aos bispos italianos que iniciam nesta segunda-feira o seu 5º Encontro Eclesial Nacional em Florença. O Papa Francisco marcará presença na próxima terça-feira dia 10 naquela cidade italiana.

Pedindo mais uma vez para rezarem por ele o Papa Francisco de todos se despediu desejando um bom domingo e um bom almoço.

(RS)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here