Pensamento da Novena 20-07-2016

0

Intenção Geral: “Pela cura das vulnerabilidades humanas”.

 

AS VULNERABILIDADES HUMANAS

 

Hoje estamos na 7ª novena de nossa série, que tem como intenção geral “pela cura das vulnerabilidades humanas”. Já refletimos sobre a pressa, as frustrações, a solidão, a ansiedade e a raiva. Hoje estamos falando sobre o PRECONCEITO. Segundo o dicionário da língua portuguesa, preconceito é “qualquer opinião ou sentimento concebido sem exame ou conhecimento prévio. Geralmente uma ideia formada sem o conhecimentonecessário”.

 

O pré conceito pode ser atribuído perante pessoas, culturas, lugares, sentimentos, tendências de comportamento, questão racial, social, sexual, cultural e religiosa. Tudo aquilo que é visto como “diferente” ou “estranho”, geralmente gera um pré conceito. Se essa análise for em sentido pejorativo costuma ser simplista e grosseira. O preconceito não pára nele mesmo. Geralmente vem acompanhado de atitudes discriminatórias, intolerantes, autoritárias, hostis e até desumanas.

 

Se olharmos para Jesus, Ele quebrou vários tipos de preconceitos. Ele deixava sem palavras os preconceituosos. Ele deixava os fariseus e doutores da Lei furiosos porque Ele desafiava esses julgamentos discriminatórios e desumanos. Por exemplo, quando Ele conversava com os leprosos, com os pecadores públicos, com as mulheres, com as viúvas, com os migrantes, com os pobres, com as prostitutas. Toda essa gente era excluída, mal vista, discriminada. E eram exatamente essas pessoas que Ele ouvia, acolhia e amava primeiro, sem preconceitos.

 

Nós temos que aprender com Jesus, que o diferente, não pode ser uma ameaça para minha vida. Eu posso continuar vivendo tranquilamente no mundo e convivendo com o diferente e até com o que muitas vezes me parece “estranho”. Hoje, no mundo, temos diversos tipos de preconceitos. E isso tem causado muita maldade, pecado e até desumanidades. Você se considera uma pessoa preconceituosa? Pense a respeito disso. Ser muito preconceituoso é se colocar no lugar de Deus, pensando que tem autoridade para julgar as pessoas e muitas vezes até condená-las. Estamos no ano da Misericórdia: um ótimo momento para revermos nossos conceitos, pensamentos e atitudes. Que a Mãe do Perpétuo Socorro nos ajude a purificar nossos julgamentos para realizarmos, se for o caso, sempre a partir do amor.

 

 Rogai por nós, santa Mãe de Deus…