Ano Jubilar – 150 anos da presença dos Missionários Redentoristas no Suriname

0

O dia 01 de agosto foi marcado com a celebração da abertura do Ano Jubilar, os 150 anos de presença redentorista no Suriname. A celebração aconteceu na Catedral Basílica de Paramaribo. Estiveram presentes P. Henrique Lopes (Roma), Vigário geral da Congregação, P. Manuel Rodrigues (Porto Rico), Coordenador da America Latina e Caribe, P. Rogério Gomes (São Paulo) coordenador da URB – União dos Redentoristas do Brasil. Além do P. Joop Vernooy (Holanda) e de dois junioristas. A partir desta data, 01 de agosto de 2015 até a mesma data em 2016 está prevista a realização de um Ano Jubilar que celebrará o 150º aniversário da missão e o 15º aniversário da presença dos redentoristas brasileiros no país.

Chegada dos redentoristas

No dia 30 de julho de 1865 o Beato Pio IX confiou o Vicariato Apostólico do Suriname aos cuidados pastorais da Congregação do Santíssimo Redentor. Conforme a decisão do então Superior Geral, Pe. Nicolau Mauron, a missão ficou sob a responsabilidade dos missionários redentoristas da Província de Amsterdã que hoje integra a Província de São Clemente, na Europa.

Na mesma ocasião, no dia 25 de setembro de 1865, o Pe. Swinkels foi nomeado Vigário Apostólico, sendo sagrado bispo em 15 de outubro do mesmo ano. Os primeiros redentoristas holandeses chegaram ao Suriname no dia 20 de fevereiro de 1866.

Ação Missionária

A partir de então os redentoristas iniciaram uma jornada missionária de pregação explícita da Palavra de Deus, de presença no meio dos mais pobres e abandonados, de assistência aos enfermos, com especial destaque aos leprosos, uma vez que existiam várias colônias deles no Suriname.

Nesta árdua missão foram vários os redentoristas que deixaram marcas profundas na evangelização e na construção da Igreja no Suriname, mas entre os que se destacaram, merece realce o Beato Pedro Donders, conhecido como o “Apóstolo dos leprosos”. Sua memória é celebrada todo dia 14 de janeiro.

O trabalho missionário hoje

O trabalho missionário dos redentoristas prosperou e o Suriname chegou à condição de Vice-Província holandesa, com a presença de mais de 60 confrades empenhados na missão, sendo 04 deles vocações nativas do país.

Em 2000, o Superior Geral da Congregação, Pe. Joseph Tobin, confiou a missão no Suriname aos cuidados da União dos Redentoristas do Brasil (URB). E lá se vão 15 anos de missão, sendo que os frutos começaram a amadurecer.

Seguindo as pegadas dos que vieram da Holanda, hoje os missionários redentoristas do Brasil levam a cabo a obra apostólica da Congregação, em meio a inúmeros desafios, buscando reimplantar o carisma redentorista no Suriname.

Com Ele será grande a Redenção

Como se aproxima a comemoração dos 150 anos da presença missionária no país, os redentoristas que estão no Suriname começam a planejar a celebração do Ano Jubilar. Segundo Pe. Rudolf Jacobus Croon, que é membro da Província de São Paulo, atual Superior Regional, o objetivo é “fazer memória da presença dos redentoristas no Suriname e lançar as redes para águas mais profundas, buscando pregar o Evangelho de um modo sempre novo”.

O Ano Jubilar terá, por isso mesmo, um caráter vocacional, pois se propõe a ser um momento de inspiração para todos os redentoristas consagrados e para os leigos associados à missão, despertando no coração dos jovens o desejo de seguir mais de perto a Jesus Cristo Redentor, espalhando no país a sua Copiosa Redenção.

Informações: Ir. Jorge Tarachuque, CSSR – Portal A12