Cerco de Jericó completa quatro anos em junho

0

O início do mês de junho se aproxima e os fiéis se preparam para a realização de mais um Cerco Jericó que começará no dia 02/06 e irá até o dia 09/06 no Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. No mês de junho o Cerco de Jericó completa quatro anos.

E para comemorar o quarto ano, o Bispo D. Henrique Aparecido da Diocese de Dourados vai realizar a abertura do Cerco nesta quinta-feira (02). As orações acontecem sempre das 6h às 6h45.

O Cerco de Jericó já é uma tradição bem consolidada entre os fiéis, que participam em grande número todos os meses. Quem frequenta garante sempre conseguir alcançar uma graça por meio dos sete dias oração do Cerco.

O coordenador do Cerco de Jericó, Dagmar Carpezani Lopes, conta que o Cerco começou com um grupo de 35 pessoas. Hoje esse número chega a quase 900. “Foi com o Diácono Centurião que o Cerco de Jericó começou, mas ele teve que se mudar e passou a coordenação para mim. Nesses quatros anos já passaram um total de mais de 5 mil pessoas no Cerco. Quem participa sempre volta no mês seguinte e traz mais alguém que acaba conhecendo e frequentando também. A tendência é cada vez mais aumentar o número de fiéis”, revela Dagmar.

Ao final de cada ciclo de oração do Cerco de Jericó, os participantes são convidados a fazer doações de alimentos para ajudar nos trabalhos sociais do Santuário. Já foram arrecadados cerca de 2000 Kg de alimento e quase 900 litros de leite destinados à caridade.

O Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro está localizado na Avenida Afonso Pena, nº 377.

Origem do Cerco de Jericó

O Cerco faz alusão ao livro de Josué, quando o povo de Deus chegou para tomar posse da terra prometida e se depararam com enormes muralhas, que dificultavam sua passagem. Porém um anjo do Senhor se aproximou de Josué e disse para pegar a arca da aliança e junto com seu povo darem sete voltas na cidade. E assim fizeram e pelo poder da oração as muralhas vieram por terra e assim tomaram posse da terra prometida.

Assim também os fiéis se reúnem pelo poder da oração para derrubar as muralhas os impedem de viver na bênção e na prosperidade como filhos e filhas de Deus.