Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro - MS

Destaques, Notícias, Santuário › 20/06/2019

Festa da Padroeira: Bispos usarão báculo de Dom Antônio Barbosa

Em comemoração aos 80 anos de criação da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro foi concedido ao Santuário Estadual a deferência de usar, durante o Novenário em honra a Rainha e Padroeira do Mato Grosso do Sul, o báculo – sinal do ministério pastoral – que pertenceu ao I Bispo de Campo Grande, Dom Antônio Barbosa. Assim, os sete bispos que celebrarão as Santas Missas durante a Festa farão memória dos corajosos pastores que passaram pela nossa Paróquia desde sua criação, em 1939. À época o município de Campo Grande pertencia à Diocese de Corumbá, assim como todo o atual estado do Mato Grosso do Sul, e contava apenas com uma paróquia, a Paróquia Santo Antônio.

 

Dom Vicente Maria Bartholomeu Priante, Bispo de Corumbá, pediu para que os missionários redentoristas construíssem uma igreja no promissor Bairro Amambaí e em 2 de janeiro de 1939 instalou a segunda paróquia de Campo Grande, dedicada à Mãe do Perpétuo Socorro. Dom Vicente, em 1940, lançou e abençoou a pedra fundamental da construção da igreja, e, em 1941, solenemente, inaugurou a Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. A ele sucedeu Dom Orlando Chaves na Sé de Corumbá e no governo pastoral de toda a Diocese, sempre confiando no trabalho missionário dos filhos de Santo Afonso Maria de Ligório.

 

Com a criação da Diocese de Campo Grande em 1957 – e posterior elevação à Arquidiocese Metropolitana em 1978 – Campo Grande ganhou seu I Bispo, o destemido paulista Dom Antônio Barbosa, que escolheu o mês de maio para marcar todo seu trabalho apostólico nestas terras: no dia 1º foi ordenado bispo, em memória a São José Operário, ocupando também sua preocupação pelos trabalhadores que aqui tingiam sua pele com a poeira e o sol da Cidade Morena; no dia 24, véspera de Pentecostes e dia dedicado à Auxiliadora dos Cristãos, tomou posse da nova Diocese, à época abrangia também os atuais territórios das dioceses de Coxim e Três Lagoas; também em maio nasceu, no dia 10, e morreu, no dia 3, mostrando que toda sua vida foi entregue ao anúncio do Evangelho aos filhos da Mãe do Redentor, e quis cravar em seu báculo a imagem de Nossa Senhora da Conceição, que nos lembra que a partir deste mistério começa o plano de salvação sonhado por Deus.

 

Dom Vitório Pavanello e Dom Dimas Lara Barbosa sucederam a ele, e partilham de especial amizade para com os redentoristas, ao confirmarem sua missão de sempre levar a mensagem da copiosa redenção ao anunciar a viva memória do Redentor. Nestes 80 anos, no altar que une toda a fé no Cristo dos devotos da Mãe do Perpétuo Socorro, os nomes destes cinco homens foram e são lembrados após a consagração das espécies eucarísticas para serem sinais de comum unidade da comunidade que se reúne para comungar do sacramento que brota do Coração do nosso Deus.

Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Av. Afonso Pena, 377 - 79005-000 - Campo Grande - MS

contato@perpetuosocorroms.com.br

(67) 3384.2818 – (67) 3384.9969

AFIM

Av. Afonso Pena, 488 - Amambaí - Campo Grande - MS

assistenciasocial@afimcg.org.br

(67) 3211.6072 | 3211.6020 | 3211.6005

Facebook

X