Relíquia de Madre Assunta esteve no Santuário

0

O Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro recebeu nesta quarta-feira, 27, em Campo Grande, durante as novenas, a relíquia de Madre Assunta Marchetti. O objeto traz um pedaço do fêmur da Madre, que foi beatificada em 25 de outubro de 2014.

A relíquia foi apresentada aos devotos que ficaram sabendo um pouco mais da trajetória da bem-aventurada Assunta Marchetti. Ao final de cada novena, o fiéis puderam tocar o objeto e fazer orações.

Madre Assunta Marchetti nasceu em Lombrici di Camaiore, Lucca (Itália) no dia 15 de agosto 1871. Partiu como missionária para o Brasil com 24 anos de idade e nunca mais voltou à sua terra natal. Morreu entre as órfãs como sempre havia desejado, no dia 1° julho 1948, em Vila Prudente, S. Paulo, SP.

Madre Assunta é a cofundadora da Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo – Scalabrinianas. Ela amou intensamente o próximo, especialmente as coirmãs de vocação, dedicando-se com ternura ao cuidado dos mais pequenos entre os órfãos, pobres, doentes e migrantes em diversas cidades de São Paulo e no Rio grande do Sul.

Foi no amor a Jesus eucarístico e a Maria Santíssima que encontrou forças em todos os momentos de sua humilde existência missionária. Serviu como cozinheira, enfermeira, catequista, superiora geral e local.

E, porque foi grande amiga de Deus e do próximo necessitado, podemos invocá-la nas nossas necessidades. 

O Milagre

Em vista da Beatificação, a Postulação da Causa de Beatificação de Madre Assunta Marchetti apresentou ao juízo da Congregação das Causas dos Santos a suposta cura milagrosa acontecida em Porto Alegre (Brasil) no ano de 1994, de um senhor que havia sofrido um ataque cardíaco. Foi socorrido imediatamente e internado no hospital; após um tratamento adequado recebeu alta.

Passados alguns dias o fenômeno repetiu-se com maior gravidade ao ponto que foi necessária uma intervenção cardiológica, durante a qual aconteceu uma grave parada cardíaca que durou por mais de quinze minutos. A equipe médica fez o possível para oferecer ao paciente os cuidados oportunos para a reanimação, mas a sua condição agravou-se ao ponto de correr risco de vida.

Naquele momento, uma irmã da Congregação da Venerável Serva de Deus, sabendo da difícil situação do paciente, dirigiu uma fervorosa invocação à Madre Assunta, pedindo sua intercessão para a cura do paciente. Uniram-se a ela em oração as demais coirmãs scalabrinianas da comunidade do Hospital Mãe de Deus, de Porto Alegre, Rio Grande do Sul e alguns familiares do enfermo.

O doente foi transferido para a UTI e improvisamente manifestou sintomas de excelente recuperação das funções do coração, em um tempo muito breve, em comparação com o grave diagnóstico, e o mais estupendo foi que ele não teve nenhuma sequela decorrente da grave patologia sofrida.