Superior Geral dos Redentoristas preside missa no Santuário Nacional

0

O Superior Geral da Congregação do Santíssimo Redentor, padre Michael Brehl, presidiu a missa das 18h, no último domingo (16), no Santuário Nacional de Aparecida. A presença do Superior Geral e de outros membros do Governo Geral, no Brasil, se deve a um encontro internacional que ocorrerá, em Curitiba (PR), de 18 a 21 de agosto, em preparação ao jubileu dos 150 anos da entrega do Ícone do Perpétuo Socorro aos Redentoristas.

Na homilia, o superior refletiu sobre o amor de Deus por Maria explicitado na festa da Assunção, e o respeito ao corpo que é templo do Espírito Santo.

Ao se dirigir aos fiéis e romeiros presentes na Casa da Mãe Aparecida, padre Michael manifestou a sua alegria e pediu desculpas por não falar bem o português. “É uma alegria imensa e um grande privilégio estar aqui no Santuário da Mãe Aparecida para celebrar esta solenidade em honra da Assunção de Maria Santíssima. Quando celebramos a Assunção de Maria, nós celebramos que Deus amou Maria tão profundamente, que ao terminar sua vida terrena a tomou para si em corpo e alma. Imaginem um pouco como foi este momento”, disse.

“Deus abraçou Maria com um abraço imenso e completo e a tomou para si com seu corpo humano, acolhendo todos os seus relacionamentos, todas as suas experiências, todos os seus sonhos e suas fraquezas. Maria entrou na presença de Deus toda inteira, com tudo o que ela era e com tudo o que ela é. Deus abraçou com ternura a sua humanidade”, sublinhou.

Segundo padre Michael, Deus amou Maria de tal forma que “não permitiria jamais que seu corpo sofresse a corrupção” porque esse foi o corpo no qual “Jesus assumiu a sua carne e se fez homem”. Ao cantar o Magnificat, Maria “afirmou que todas as gerações iriam proclamá-la bem-aventurada, e nós certamente, pertencemos a uma dessas gerações”, completou o superior.

Padre Michael destacou que a festa da Assunção não recorda apenas o amor de Deus por Maria, mas também dela por toda a humanidade. “É uma festa para nós também, afinal, ela é também nossa mãe, ela nos ama como seus verdadeiros filhos. Nós somos importantes para ela”, referiu o superior.

Nesse sentido, padre Michael fez uma referência ao amor de Deus pela humanidade. “Acima de tudo, nós somos importantes para Deus. Deus anseia nos abraçar intensa e inteiramente com nossa humana, com nossos corpos, com nossos relacionamentos e experiências, com tudo o que somos como mulheres e homens. Como São Paulo nos diz: ‘Deus honra também os nossos corpos. Nós também somos templos do Espírito Santo’”, refletiu.

O superior lembrou ainda o sofrimento pelo qual passam inúmeras pessoas com a desonra de seus corpos. “Hoje, com muita frequência, nós não seguimos o exemplo de Deus. Porque não honramos os nossos corpos e o corpo dos outros, especialmente, o corpo das mulheres. Talvez, no dia da Assunção de Maria, Deus está nos chamando e convidando para respeitar e honrar os outros em sua integridade completa, incluindo os seus corpos. O mundo atual desonra o corpo das mulheres com tanta frequência e de forma tão irresponsável, através do tráfico de mulheres e crianças, da pornografia, de brincadeiras chulas e marcas de desrespeito”, enfatizou.

Ao abraçar Maria, inteira e completamente, de corpo e alma, Deus também anseia abraçar os homens e mulheres, em sua integridade, reforçou o superior pedido que nessa celebração os fiéis possam comprender que a Assunção de Maria, também é um convite para refletir sobre a dignidade de todas as pessoas, enquanto filhos de Deus. “Que a festa da Assunção nos recorde não somente a dignidade de Maria e o amor de Deus por ela, mas que nos convoque a honrar os outros de forma profunda e completa. O Senhor fez em Maria, maravilhas, e Santo é seu Nome. Amém”, finalizou.